24 OUT | 21h30 | aTEMPO de São Castro | Black Box | Évora
31 OUT | 21h30 | aTEMPO de São Castro | Centro Cultural | Redondo


Ficha Artística e Técnica

Coreografia / Interpretação São Castro
Vídeo Guzmán Rosado
Desenho de Luz Gonçalo Lobato
Selecção Musical São Castro

Duração da obra
~ 45 minutos
Escalão Etário Maiores de 10 anos
Como um animal não regressa ao seu ovo e a água do rio não passa duas vezes por onde passou, também o tempo não recua, não pára, não acelera. Ele toca-nos sem o vermos, ele existe deixando marcas na nossa mente e corpo, é assim que o sentimos, sendo nós próprios grandes pedaços de tempo. Ele é invisível como matéria mas visível em nós e deambula ao nosso redor com as mais variadas designações e temas.
De um ponto de vista físico, o tempo não passa de uma convenção do homem para resolver os seus problemas científicos, técnicos, práticos, quotidianos. De um ponto de vista espiritual, é encarado como uma fracção da eternidade actualizada em cada instante.
Einstein mostrou-nos, com a sua teoria da relatividade, que o tempo depende do observador e, portanto, que o tempo é subjectivo, ou depende da mente.
Vivemos, a maior parte das vezes, em função do tempo que faz; do tempo que dispomos; do tempo que nos falta; do tempo que nos sobra; do tempo que sonhamos vir a ter; do tempo que já passou... E tantas vezes esquecemos a imensidão de tempo que temos dentro.
<< Anterior
 
 
© 2015 Companhia de Dança Contemporânea de Évora. Todos os direitos reservados. fotos: Telmo Rocha design: NAD desenvolvimento: b-online.pt
      siga-nos no